ÍNDICE
ÍNDICE

PRINCÍPIOS
PROJECTOS... SONHOS... DEVANEIOS!...
INTUIÇÕES, OPINIÕES E OUTRAS CONVICÇÕES!...
AFORISMOS

2016_CAMBALACHO
2015_O INSULTO
2015_MARCELO EST
2015_EPIGRAMA
2015_MIGRANTES ?
2015_JE SUIS CHARLIE
2014_IDEOLOGIAS
2014_DEMOCRACIA
2014_BANCÁRIOS
2014_NOVO BANCO
2014_SELFIES - O ALIMENTO DOS POBRES
2014_A JUSTIÇA DOS POBRES
2014_ROMA FALOU!...
2014_CRIMEIA
2014_KENNEDY'S!... A DERRADEIRA ESPERANÇA?...
2013_PAX AMERICANA
2013_PILATUS!...
2013_EU NÃO MEREÇO ISTO!...
2013_QUE COLONIALISMO É ESTE QUE NINGUÉM O VÊ?
2012_A CORJA!...
2012_...E A SAGA CONTINUA!...
2012_FALÁCIAS
2011_EPIFANIA
2011_DOLLAR versus EURO
2009_VIAJAR EM TEMPO DE CRISE!...












INTUIÇÕES, OPINIÕES E OUTRAS CONVICÇÕES!...


INTUIÇÃO

A intuição é um mecanismo poderoso. Resulta da associação e combinação de imagens cerebrais múltiplas, incluindo as ancestrais, processadas a nível subcortical na ausência de conhecimento da consciência.

Por isso é um mecanismo perigoso!... Não sujeita ao teste do real cria monstros, fantasmas e fantasias (mas também a poesia!..) e está na base da paranóia e da alucinação.

Assim nasceram os deuses, os fantasmas, as bruxas e os lobisomens e dela se alimentam todas as formas de superstição desde as grandes religiões à mais básica exploração charlatanesca da quiromancia e astrologia.

Sujeita ao teste de realidade é a pedra basilar da construção da consciência que ali vai buscar a sua matéria prima servindo-se do raciocínio lógico processado nos córtices.
COMENTE


RETORNO






IMAGINAÇÃO

Imaginação é o processo cerebaral de seleccionar e combinar imagens neuronais e apresentá-las duma forma coerente. O resultado deste processo é uma fantasia que mobiliza o sujeito para o confronto com o real. Quando esse confronto se dá e o seu conteúdo é validado temos conhecimento.
Em caso de deficiência do processo, o sujeito confunde a sua construção com a realidade e cria fantasmas, fantasias e outras monstruosidades de que a cultura está eivada, bem como toda a forma de crenças (pensamentos não fundamentados!..) que se transmitem entre pessoas partilhando o mesmo tipo de deficiência
COMENTE


RETORNO







MAGIA

Magia é uma fantasia criada por uma imaginação deficiente que leva o protagonista a acreditar em forças extranaturais. Situa-se entre as crenças ou processos mentais, não fundamentados resultantes de operações complexas pondo em jogo estruturas profundas (subcorticais) do cérebro. Alimenta-se das memórias ancestrais processadas pela imaginação deficiente. Podem ser construções semi-conscientes no caso da produção artística.
COMENTE


RETORNO





OPINIÃO

É uma explicação de algo que se desconhece. Baseia-se na intuição e na imaginação e responde à necessidade psicológica de interpretação do real.

É oposta a conhecimento... mas não contraditória. Pode conter graus de precisão espantosos ou ser mera fantasia.
COMENTE


RETORNO








MEMÓRIAS ANCESTRAIS

Memórias ancestrais são recordações herdadas dos nossos antepassados, às vezes, longínquos. Inseriram-se e fixaram-se no cérebro humano ao longo da sua evolução e creio que residem nas zonas subcorticais do cérebro sob a forma de imagens neuronais fragmentárias, mais ou menos vagas ou imprecisas. São o resultado de situações traumáticas, violentas, ou aterradoras por eles vividas mas podem também ser reminiscências doces, agradáveis ou felizes.

Aparecem nos sonhos, nos pesadelos mas também em estados de vigília. O factor desencadeador parece ser a experiência actual duma situação que desenhe uma imagem neuronal com um elemento comum àquelas imagens ancestrais seja ele um estímulo visual, auditivo, olfactivo ou táctil... o que provoca o reviver daquela cena de horror ou felicidade com tal nitidez, em certos casos, que leva o protagonista a acreditar que já viveu outras vidas, incapaz de localizar aquelas recordações na sua próprio existência e não dispondo de explicação lógica ou científica para a situação.

As memórias ancestrais são "borderline". Situam-se naquela zona nebulosa, vaga e imprecisa que separa a consciência do inconsciente.

A melhor fundamentação que encontrei na neuro-ciência está em Antónuio Damásio...(*)
Damásio não fundamenta a afirmação em nenhum estudo concreto, como o faz amiúde, com outras afirmações, parecendo ser o resultado de uma das suas intuições.
Assim fica por explicar como numa única célula (um óvulo fecundado) está contida toda a informação para a formação dum corpo, duma mente e ainda de algum do seu conteúdo.
A investigação genética está ainda muito centrada sobre si própria. Conhece-se apenas a função de alguns genes encarregados das próprias funções biológicas e o contributo do código para produzir e regular outras funções não biológicas (memória, inteligência, consciência) dum organismo complexo , como o humano, é completamente desconhecido. Segmentos enormes de genes contendo codificação, aparentemente, sem sentido (ainda chamado ADN lixo) poderão no futuro revelar muitas surpresas.

Um dia a ciência dará esse passo, mas nesse dia também se aproximará de resultados perigosamente extraordinários. Quando for possível ler e manipular geneticamente a formação dos mapas neuronais a liberdade individual ficará concomitantemente comprometida!...


(*) O cérebro retém uma memória daquilo que aconteceu durante uma interacção e a interacção inclui de forma relevante o nosso próprio passado, e muitas vezes o passado da nossa espécie biológica e da nossa cultura. António Damásio, O Livro da Consciência, pag. 171, Temas e Debates, Circulo de Leitores, 2010
COMENTE


RETORNO





BIG BROTHER

Orwell, um visionário sectário, teve a intuição extraordinária de prever a existência dum Big Brother, mas o seu sectarismo levou-o a enganar-se no local onde o colocou...
COMENTE


RETORNO



AFORISMOS

Tu és do Sporting ... do Benfica ... ou portista!? -- ... do PSD ... do PS ... ou PCP-ista? -- ... cristão ... mussulmano ... ou budista? ... se não fores TU PRÓPRIO... não és NADA! não passas de um MASOQUISTA!
... se acreditas... não sabes; se sabes não acreditas!... Mas, afinal, o que é que tu sabes?!... Eis a questão?!...


... os não psicopatas sabem quem os outros são... mas os psicopatas não se reconhecem entre si e julgam-se todos normais... mesmo brigando por coisas sem sentido!


Os valores éticos não estão guardados na cabeça de nenhum deus. Transitam entre as cabeças de uns poucos HOMENS BONS que existem em cada geração!

Quem aprecia as pessoas de sucesso numa sociedade destas!... tem o mesmo mau carácter mas menos inteligência!......


A diferença entre as pessoas decentes, intrinsecamente honestas para quem as coisas são o que são e não aquilo que podem ser... é, simultâneamente, ínfima e abissal.
É uma grande diferença... mas tão subtil que a maioria das pessoass não consegue percebê-la!..


Quem não pensa usa os pensamentos alheios; quem pensa usa-os para pensar melhor!...


Determinismo relativista:
Qualquer um pode morrer primeiro que eu!...


Por muito cuidado que tenhas, podes não ter sorte... Mas sem cuidado, não há sorte que te valha!...
RETORNO









VIAJAR EM TEMPO DE CRISE!...
Fiz hoje 68 anos dentro dum avião, aliás, à semelhança do ano passado!...

Para mim, como para os países que visito, não há crise!... por sermos ricos?!... não!... por sermos pobres!...

Como reconhece uma crise quem nunca saiu dela?!...

Crise é problema de ricos.. e sabem porquê?... por causa da ganância!...

Isso é o que ninguém nos diz entre as vozes autorizadas a fazedoras de opinião... e sabem porquê?!... porque quem está dentro da floresta só vê as árvores... para ver a floresta é preciso estar fora!... e eles estão todos dentro (do sistema), uns contra os outros, debatem-se todos com as mesmas limitações...

Há muito que sei que este sistema não tem futuro, só não sabia, nem queria, que acabasse tão cedo!... E sabia como?.. se todos os iluminados, autorizados, licenciados, adulados e reconhecidos... ninguém sabia nada?!...

Simplesmente porque não têm tempo nem neurónios para pensar!...

O raciocínio assenta numa lógica muito simples mas muito estrita:"...como é que num mundo de recursos limitados uma civilização estrutura a sua existência baseada numa prática de crescimento infinito?!..."

O padrão de desenvolvimento desta civilização, cujas raízes já vêm de longe, assenta no crescimento quantitativo e não qualitativo... e a mais elementar lógica aristotélica diz-nos que o modelo um dia se esgota.

Querem inventar uma lógica nova?... a aristotélica é velha, está ultrapassada?... sim... já foram feitas tentativas nessas e noutras áreas... mas desde a invenção da numeração (dita árabe) que apesar da tentativa de reformar as matemáticas, 2 + 2 sempre foram 4!... e antes também já era assim mesmo sem se saber!...

Portanto... esta não é mais uma crise!... é o começo do fim!... mas para entendermos isso temos que ir um pouco mais fundo. Os problemas de esgotamento de recursos e de empolamento do sistema são recentes. Nasceram no século passado mas foram chocados muito antes!... e durante um longo período de incubação que remonta ao fim da Idade Média com o desenvolvimento do comércio mundial e o aparecimento do capitalismo!...

Mas foi depois da guerra de 39/45 que a sua evolução entrou em espiral com o aparecimento dum novo império, ocupando o espaço vazio deixado pelo antigo Império Romano desaparecido há séculos!....

O antigo império conquistava, saqueava e explorava baseado na ocupação física do território com custos operacionais elevados, demasiado tempo entre a rapina e o consumo (tudo era ainda feito ao ritmo biológico) e difícil controlo dos comandos à distância!... e numa área limitada do universo!...

O novo, escapado à devastação organizativa que uma ocupação ou bombardeamentos sempre acarreta, estava administrativamente incólume para dar as cartas e ficar com os trunfos!... e as instituições, saídas dos acordos forjados ainda durante o "stress" da guerra, implantadas pós-guerra, não passaram todas de tentáculos seus para conquistar e explorar, agora o mundo inteiro a um ritmo alucinante!....

O resto do mundo agradecido e venerando transformou-se numa espécie de satrapias(*) obedientes com a ilusão de poder e independência com que votavam nestas organizações obedecendo, sem saber, à voz do dono que ditara as regras...

Agora os fluxos materiais fluíam incessantemente já não de toda a bacia mediterrânica para Roma... mas de quase todo o mundo para a nova capital do outro lado do Atlântico...

...mas a ganância da nova aristocracia não conhece limites!... num desses acordos o império tinha imposto a sua egemonia ao estabelecer que o comercio mundial e o câmbio das suas moedas ficasse indexado ao dollar... que por sua vez teria a sua cobertura salvaguardada por um montante determinado em ouro depositado na reserva federal... e isto estava a causar embaraços. Era preciso arranjar ouro primeiro para poder imprimir papel para enviar em troca das coisas de valor dos incautos de todo o mundo!...

... então!.. um dos seus imperadores, acusado de corrupção na eleição e impedido de terminar o mandato, ainda teve tempo para anular unilateralmente esta cláusula.

A partir de agora o dollar não estava mais sujeito à taxa de cobertura em ouro!... e o império podia dar largas à sua sede de rapina!... os produtos e matérias primas de todo o mundo podiam agora ser trazidos em troca de meia dúzia de árvores esmagadas, comprimidas e impressas como se de coisa valiosa se tratasse!... sem referência a qualquer mecanismo de conversão!...
Qual a diferença entre isto e os primeiros descobridores a trocarem ouro por espelhos com os indígenas que encontravam nas suas deambulações?!... só uma: os espelhos eram tecnologicamente mais avançados do que o papel sem cobertura assim obtido!...

Era o "american way of life!...". Enriquecer depressa era a ideia exportada para todo o mundo como mais um absurdo viável!... e o mais surpreendente é que os milhões de explorados por esta prática acreditavam nisso!... e as satrapias mais próximas do centro do império até tinham alguns ganhos... mas na periferia é que os problemas se agudizavam todos os dias!...

Num sistema fechado de vasos comunicantes, o que está a mais num lado falta, necessariamente, no outro!... mas ninguém via!... acreditava-se (e quem não acredita ainda?!...) no crescimento infinito... ignorando Lavoisier!...

Os despojados revoltavam-se por aqui e por ali mas, com grandes ganhos em economias de escala (assim se chamava ao usurpação de pequenas quantidades em muitas operações!...), o império de agora já não precisava de ocupação física permanente das suas possessões. Quando os seus tentáculos ou os sátrapas obedientes e venerandos não resolviam o problema... bastava enviar em expedição punitiva uma unidade bem treinada para "repor a ordem". Nem sempre as coisas correram bem mas quando não conseguiram impor a sua ordem, conseguiram impor a desordem que também servia os seus intentos!...

Só faltava resolver uma pequena pedra no sapato do império para que a sua glória fosse suprema e a sua egemonia mundial. A queda do Muro de Berlim!... Foi o triunfalismo, o apogeu, o sonho tornado realidade!... mas tal como no teatro, que imita a vida real, o clímax representa o começo do fim do drama, também nos impérios ao apogeu segue-se a decadência!...

E os recursos fluíam apesar dos desaires!...(**) a sua moeda fabricada em grandes quantidades continuava a ser padrão para tudo... dando a ilusão de enriquecimento ilimitado!... agora já nem precisavam de imprimir papel, as próprias árvores começavam a escassear mas isso não era impedimento. Exportavam pequenas cargas eléctricas armazenadas na memória de uns "chips" sob os mais diversos invólucros, acções, obrigações, fundos, índices, "warrants"... e mais uma caterva de nomes vazios sob a designação genérica de derivados... através dum sistema de casino electrónico chamado mercado financeiro com que enganaram todo o mundo. Como em todos os casinos, quem ganha é o dono. Se a sorte lhe é adversa estão previstos mecanismos para inverter a situação. Assim acontecia nesse casino. Violavam, sem pudor, as regras que eles próprios tinham estabelecido e as chamadas entidades de supervisão não entendiam (ou não queriam entender com medo do dono) quando alguém se queixava. Isto foi particularmente evidente com os chamados "warrants".(Ironia do destino!... no exacto momento da queda das torres do World Trade Center um dos seus bancos estava a arrecadar milhões com a violação das regras nas bolsas mundiais!...).

Mas é, apesar do zelo posto a combater os desalinhados (agora marcados com o ferrete perigoso de terroristas), no seio das satrapias mais fiéis, sem que ninguém o quisesse, que o maior inimigo do "american way of life" se desenvolve, subrepticiamente, como uma criação inocente.

Era para se chamar ECU mas por conotações pejorativas em algumas línguas sátrapas (rsrsrsrs) rebaptizaram-no de EURO.

O imperador reinante ao tempo, que não tinha inteligência suficiente para isso, deve ter sido alertado do perigo e correu a tentar abortar esta gestação largando bombas radioactivas no seio das próprias sataprias fiéis, conhecedor dos seus desacordos, para envolvê-las em luta entre si e gerarem um nado morto (bombardeamentos na ex-Jugoslávia). Apesar dos desacordos o novo rebento veio à luz e, mais uma vez ultrapassando as expectativas, com tal vitalidade que o velho padrão, sem cobertura e muito ódio à mistura, nunca mais foi o mesmo!... e começou a regressar a casa cansado e desgastado... em quantidades que mesmo assim desvalorizado daria para comprar vários impérios!...(***) e só havia um!...

Ao mesmo tempo a contestação na periferia do império subia de tom... agora já eram antigas satrapias fiéis que eram alvo do ferrete que as marcava para o abate!... e quando uma delas se preparava para converter toda a sua dívida (dívida?.. sim a sujeição sempre se fez mantendo o escravo devendo alguma coisa ao dono!...) e as transacções de petróleo em EUROS!... a campainha do alarme vermelho soou nos aposentos do imperador!...

Outros se lhe seguiriam. Era o fim do império!... era preciso tomar medidas imediatas e essas passavam por enganar os sátrapas que tal como Spartacus, que tinha em mãos um exército vencedor mas não sabia que podia governar Roma!..., mais uma vez vergaram a cerviz, desmobilizaram o seu exército e foram com o dono combater-se a si próprios!... "...ele tinha armas de destruição maciça!... e toda a humanidade estava em perigo!..."

Será por acaso que o único sátrapa que não tinha aderido ao EURO foi o mais fiel e incondicional entre eles?!... rsrs

Agora já não era o "american way of life" que estava em jogo. Era a sobrevivência do império ameaçada!... império que cada vez era mais de menos!...

Desde há muito que patrícios, curadores, senadores, generais e cônsules levavam a sério essa ideia do enriquecimento infinito... um pequeno "shift" na interpretação do "awol"...

Já não era enriquecimento para todos mas, em teoria, todos podiam enriquecer infinitamente!... mas só os melhor posicionados na grelha de partida tinham hipóteses!... mas isso ficava no registo escondido da mensagem.

Livres do "papão" soviético, administrando empresas gigantescas (acreditava-se que o crescimento era isso mesmo - quanto maior, melhor) com orçamentos superiores à maioria das suas satrapias, espremendo os salários e reduzindo os empregos, faziam lucros colossais que se auto atribuíam como remuneração e bónus dos bons serviços prestados deixando as empresas sempre à beira da insolvência... e este jogo repetia-se ano-após-ano toda a gente achando natural!... afinal eles eram mesmo bons, mereciam!...

(O novo imperador chamou a isto uma vergonha... eu não tenho palavras para designar tais actos... acho-me impotente!... a linguagem não comporta expressão para tal horror de comportamento humano!...)

Que importava mais uns milhões cada ano com fome!... o empobrecimento contínuo dos países explorados!?... a degradação acelerada do ambiente pondo em perigo a sobrevivência da própria espécie?!...

O que era isso comparado com a ameaça de Saddan?!!!... o importante era combater Saddan... não por ser Saddan, um ser desprezível e insignificante!... mas pelo perigo que ele representava para os interesses desta casta!...

Aos muitos milhões com fome somavam-se todos anos uns tantos e esses cediam o lugar aos que caíam abaixo do limiar de pobreza!.. e, (não esqueçamos nunca que estamos num sistema de vasos comunicantes!) assim, num movimento de deslizamento social geral, camadas intermédias iam descendo na escala social, subrepticiamente, sem ninguém se aperceber, todos tentado manter as aparências!...

Até que... numa conjugação de acasos resultante por uma lado da especulação imobiliária, que há décadas é uma realidade em todo o mundo dito desenvolvido, a gula dos bancos nas taxas de juro e comissões, o deslizamento social e a descapitalização atrás referidos, uma camada suficientemente alargada da população empobrecida sem saber, entrou em incumprimento.

Os bancos têm mecanismos de segurança para o crédito mal parado, assim se chama esta prática, mas não têm mecanismos para prevenir a gula, a ganância e a insensatez!...

O sistema financeiro do império era (é) como uma daquelas diversões feitas com peças de dominó que ao desarmar uma os outros milhares delas em todas as ramificações, caiem em sequência!... partiu por ali, partiria por outro lado!... e apesar das tentativas para manter essa queda, nada nem ninguém vai poder salvá-lo!... e sabem porquê?!... sem entenderem ainda nada do que está a acontecer, os governos continuam a dar às pessoas mais do mesmo!...

Antes, os CEO's (assim se chamavam até nas satrapias, imitando o dono, os presidentes das grandes empresas) "envergonhavam-se"!.. rsrs (no dizer do novo imperador!...) nas empresas financiadas com o dinheiro dos pobres através dos seus fundos de pensões!... das quais eram reais donos mas sem poder de decisão!...

Agora, para esses senhores coitados não sentirem os horrores da crise "envergonham-los" directamente com o dinheiro dos impostos desses mesmos pobres!... que já estão acostumados à crise... já não estranham!...

E sabem o que eles vão fazer com esse dinheiro?!... já sabem?!!... eu também!...

O sistema atingiu um tal ponto de absurdo que a própria lógica do crescimento infinito foi violada em nome do mesmo princípio. A concentração excessiva de riqueza nas mãos de um só homem, que pode consumir por dez ou cem mas nunca por milhões, gera escassez na procura, no consumo, as empresas deixam de vender e de fazer os lucros que eles excessivamente rapinavam. Em termos técnicos diz-se que o sistema perde a entropia e morre!... em linguagem cultural dir-se-ia que nunca leram a fábula da "galinha dos ovos de oiro"!... e em linguagem popular, que "arranjaram lenha para se queimar!... "

É claro que eles são os últimos a arder!... mas, por este caminho, arderemos todos!...

Quando Marx disse que o capitalismo continha em si mesmo o germe da sua auto-destruição, talvez nem ele próprio tenha entendido todo o alcance desta sua intuição!... e nenhum dos seus seguidores teve sequer uma gota de génio para lhe dar continuidade!... mas foi uma intuição genial, talvez a coisa mais profunda e mais certa de toda a sua teoria... já que todas as soluções ensaiadas falharam perante um sistema errado mas eficaz até ao seu esgotamento!...

O capitalismo auto-destrói-se mas não deixa lugar ao socialismo... nem a nada nem a ninguém!... é o fim desta civilização!... uma civilização que cometeu o seu primeiro erro há milhares de anos atrás, construiu tudo sobre bases erradas e nunca teve o génio para corrigir essa situação!... e o que sobrar da humanidade vai mergulhar, não numa "longa noite de dez séculos" mas, numa longa noite de muitos milénios!... ensaiando a sobrevivência a partir de recordações cada vez mais vagas e estereotipadas pela transmissão oral, cometendo os mesmos ou esses e outros erros desconhecidos... dando consistência ao "Mito de Eterno Retorno"!...

Por isso eu viajo em tempo de crise!.. Estou a esgotar dois cálices ao mesmo tempo!... o de uma vida e o de uma civilização!...

Em termos históricos uma vida não é nada e esta civilização pode até ainda comportar, por milagre, ainda mais algumas vidas... mas está condenada a curto prazo e nada nem ninguém a pode salvar!...

Curiosamente a crise não se sente nos países que visito. Isso é problema de ricos!... mas o pior é que quando o fim chegar é para todos e eles nunca tiveram os benefícios do desenvolvimento!...

Quem disse que o mundo era justo?...

Os sistemas jurídicos, dentro da mesma lógica do sistema geral, existem para defender os que têm alguma coisa daqueles que nada têm!... Não existe uma lei que proíba alguém de ser pobre, de não ter comida ou casa para abrigar-se!... mas existem leis para defender aqueles que têm mais do que necessitam e várias casas para abrigar um só corpo!... num mundo que segundo a lógica mais elementar, sólida e básica, é de todos mas que só uns poucos, e cada vez menos, usufruem de pleno direito!...

Parafraseando alguém: "algo está podre no reino da Dinamarca!..."

Aeroporto de Salvador da Bahia aos 7 de Fevereiro de 2009


COMENTE


RETORNO





DOLLAR versus EURO

O terceiro "round" da luta entre gigantes anida não terminou... e até ao KO final muito sangue ainda vai correr!

No primeiro "round" ambos os antagonistas foram às redes. Os bombardeamentos da Juguslávia, ordenados por Clinton, visavam desmoronar uma Europa dividida nas vésperas de criação do Euro. Nascido nos escombros das bombas de deflagração de material radioactivo americano, o infante,sobreviveu, cresceu e encostou, progressivamente, o adversário às redes!

O golpe seguinte ia ser desferido por incitação dum adepto malquisto chamado Saddan. Este ia converter toda a sua dívida externa e transações de petróleo em €. Era a morte do $...

Mas o $ num movimneto de antecipação derrubou Saddan e impôs um empate. Segundo "round"

Entretanto, servindo-se de bancos de investimento e capital de risco começou por solapar as bases da frágil plataforma europeia, atacando-a nos seus pontos mais fracos. Fornece soluções contabilisticas à Grécia e a outros países em dificuldades para enganar os controlos da união nas suas contabilidades públicas... ao mesmo tempo que lhes vendia $s inexistentes!... endividando-os... (activos tóxicos!... o que é isso de activos tóxicos?... -é assunto para outro tópico- um cronista do JN, intelectual distinto mas pouco versado em economia, perguntava no auge da refrega:..."mas para onde foi o dinheiro!... ninguém nos explica?". Ninguém explica aquilo que desconhece!...(*). Resposta:para onde vai uma coisa que não existe?!...)

Estava aberto o caminho para o terceiro "round"
Agora entram em cena outros actores da mesma farsa chamados agencias de rating ao serviço dos mesmos interesses. Há que mostar que o rei vai nu... mas esconder bem quem o despiu!...
Solapadas as bases mais frágeis do sistema e sacudidos os pilares mais fracos... agora é só continuar a abanar até que outros mais fortes comecem a cair e com eles arrastem toda a estrutura!...


A verdade é que este jogo jogado na sombra por actores monstuosos sem rosto já está ganho: Se não conseguirem derrubar o € já sugaram a Europa até ao tutano com as taxas de juro extorsionárias que vão encaixar até ao fim da maturação dos emtréstimos!...

Este jogo financeiro, se não fosse tão dramático pelas suas consequências em que caíram os estúpidos dirigentes e banqueiros europeus, pareceria uma simples brincadeira de crianças. Mas não passa dum gigantesco "conto do vigário" em que só caiem os otários gananciosos.. que depois do logro não reconhecem o contributo que deram para a sua ruina.

Mas é simples: primeiro cria-se o cenário oferecendo um ganho chorudo ao otário dando ele o pouco que tem em troca; o otário dá o que tem e recebe em troca o "vigésimo premiado" com a fortuna que receberá depois; quando percebe que não passa de papel o que tem em mãos dá o "aqui-del-rei" escondendo sempre a sua real participação.
Esta é uma versão colectiva e gigantesca desta burla simples...
Primeiro criaram-se na américa os vigésimos falsos chamados derivados financeiros. Finalmente exportando generosamente o "amercan way of life" todo o mundo ia ficar rico com esta genial engenharia financeira!... estava criado o cenário para os otários caírem!...
Venderam para todo o mundo esta riqueza fácil e a europa encharcou-se dela. Para que o logro fosse completo forneceram a alguns países europeus soluções contabilisticas para iludir os controlos europeus de endividamento e encharcarem-se mais de derivados fianaceiros americanos.

Estava consumada a burla.. os otários tinham caído em entregar o que tinham e o que ainda não tinham a troco de nada.
O aparecimento, também resultante da mesma estratégia, de uma camada entretanto empobrecida na américa que deixou de poder pagar as prestações das casas adquiridas a preços especulativos... causou um incumprimento generalizado e desvalorização dos activos subjacentes àqueles derivados financeiros que por força da desconfiança passaram a números sem valor. Chamaram-lhes eufemísticamente "activos tóxicos". Tóxicos sim; activos deixaram de ser. Passaram a passivos. Bancos faliram; outros foram resgatados com dinheiros públicos (impostos) aumentando a pressão sobre as dívidas dos países!

Mas estes senhores não brincam em serviço. O filão ainda não estava esgotado. Entram agora em jogo outros tentáculos do sistema. Agências de "rating". Despido o rei, é fácil mostar que ele vai nu!... e um rei nu sujeita-se as todas as humilhações para manter a face... e essas humilhações são infligidas por um actor monstruoso sem rosto chamado "mercados"!... que já não quer apenas o seu dinheiro, quer também a sua soberania!...

Entre os otários de várias estirpes dos economistas, políticos e opinadores enfeudados às prebendas e mordomias alguém explica a este pobre povo quem são os mercados?... Os bancos estão falidos, os estados também.. mas existe dinheiro para emprestar desde que seja a preços que mantenham o rei sempre de rastos e suplicante...
Alguém se interroga onde está esse dinheiro, quem o manipula, que processos utilizou para ganhar essa posição dominante, se isso é lícito em termos não apenas de equidade social mas também de sobrevivência da própria espécie!...?

Não. Desgastam-se em guerrinhas mesquinhas e egoístas discutindo tecnicidades dentro dum sistema que os vai arrastando a todos sem saberem para onde vão.

O "round" ainda não terminou. Seguir-se-ão outros combates porque só pode haver um galo nesta capoeira!...

À semelhança da mítica luta dos titás pode até acontecer que surja como rei um filhote que nem estava na luta inicial.

Mas esse é o destino dos imortais... como toda a gente, morrem sem querer!...

Setembro de 2011


(*) Como pode alguém duvidar daquilo em que acredita?. è "contraditio in terminis" uma operação mental fora do alcance da lógica e logo da inteligência humana. è como exigir dum crente que duvide do seu deus, porque quando duvidar!... já não é crente!


Visitas: