UM PILATUS QUE NÃO LAVA AS MÃOS!...
UM PILATUS QUE NÃO LAVA AS MÃOS!...







Um Pilatus que serve Roma e não lava as mãos!

Agora são SWAPS, antes eram Warrants e fundos sem fundo, índices de índices que invadiam a europa provindos da politica de ganância desenfreada de fabricação e exportação de dinheiro falso do outro lado do Atlântico.
E o pior de tudo isto é que a rapina do império, inscrita na sua lógica de sobrevivência, só termina com o fim do império... cujo declínio é já evidente há décadas e por isso cada vez mais perigoso na sua queda.
É claro que um império desta dimensão precisa dos seus Pilatus para ir sobrevivendo da rapina das colónias cada vez mais saqueadas para satisfação das elites devassas que se apoderaram da máquina de guerra.

A europa actual é para o império, bárbaro, belicoso e selvagem o que a Grécia antiga era para Roma!... e, tragicamente, a Grécia actual continua a Grécia antiga para o moderno Pilatus ao serviço do império, programado para executar e servir, como escravo de luxo, o seu Senhor.

Mas outras províncias, dotadas dos mesmos serventuários de luxo, seguem de perto a humilhação da Grécia e estão condenadas ao mesmo destino por força de leis naturais que uns poucos manobram, empiricamente, a seu favor.

O Pilatus da europa é a Alemanha que nem lava as mãos e ignora, tal como o Pilatus da lenda, o seu destino quando não mais servir os interesses do império!...

E este Pilatus ignorante, arrogante e sem alma, que nem paga as dívidas do mal que já fez à humanidade, arregimenta uma alcateia de lacaios, serventuários menores para infligir horrores ao seu povo em troca de um prato de lentilhas.

São os chamados governos locais, erradamente auto-intitulados de nacionais, demagogicamente auto-considerados democráticos mas na prática executores cegos de interesses longínquos que, porventura, dadas as limitações da programação mental a que foram sujeitos, até desconhecem.
Têm uma instrução armazenada algures no seu sistema neuronal que lhes diz em que circunstâncias devem obedecer ao dono!... e eles obedecem!... contra tudo e contra todas as evidências.

Vivemos numa sociedade errada desde as suas origens. E apesar do desenvolvimento mental superior de uns poucos dos seus membros em cada geração, a maioria são medíocres e em pouco se distinguem, para além da posição vertical, das outras espécies. Mas são esses que dominam o mundo. E isso explica porquê, apesar de todos os desenvolvimentos e aumento da massa cerebral na espécie ela continue quase tão bárbara como sempre.

O cérebro humano é uma máquina biológica complexa... tanto que ainda, e porventura nunca, é bem conhecida. E, na saga da evolução, a humanidade tem avançado por ensaio e erro, mais erro que acerto, e fixado respostas erradas como certas porque foram obtidas segundo a lei do menor esforço. E hoje, esta sociedade que tende a tornar-se universal é um aglomerado confuso, de crenças, valores, opiniões, interesses com apenas um traço comum e o mais errado de todos: egoísmo encapsulado em ganância envernizada de cultura, conhecimento, distinção e falta de pudor!

Mas também houve, e sempre haverá, uns poucos que desta lei da programação cultural serventuária se libertaram. Mas nunca da lei da perseguição serventuária se livraram!...
Em tempos remotos inventaram deuses, seres supremos e perfeitos a quem atribuíram a autoria das suas ideias generosas na esperança de assim escapar à perseguição e convencer os pobres de espírito, por quem se sacrificavam, que aqueles valores eram supra-humanos e assim mais fáceis de aceitar.

Mas neste mundo, tal como o conhecemos, nada existe de supra-inteligência super-natural. Apenas criações humanas geniais e generosas que fazem a desgraça dos seus autores e a fortuna dos seus perseguidores.

Estimo que na natureza existem cerca de 90% de seres humanos com uma inteligência incapaz de entender um raciocínio ou resolver uma operação complexa. Alguns, mercê da programação cultural podem até resolver sequências aparentemente complexas desde que não introduzam elementos novos ou desconhecidos com os quais não sabem lidar. São os serventuários de luxo ao serviço dos poderes ocultos.
10% dos seres humanos tem inteligência suficiente para resolver problemas complexos, tomar iniciativa e inovar mas... metade deles sofrem défice ético.
São estes que dominam o mundo, exploram e escravizam os outros em nome de ideais nobres usurpados!

E como os outros 95% se deixam dominar por esta minoria?
É simples. Metade dos deficientes em inteligência sofre do mesmo mal de défice ético dos dominadores. Admira-os, serve-os lealmente e sonha um dia ser como eles. Como é deficiente em inteligência não entende que isso nunca acontecerá; a outra metade é constituída pelas pessoas simples, honestas e decentes cuja inteligência não lhes permite ascender na escala social. Acham que o mundo é mesmo assim e não há nada a fazer. Votam sistematicamente no partido em que acreditaram um dia com medo de que se o não fizerem ainda seja pior! São geralmente crentes convictos que assimilaram a cultura de auto-humilhação, humildade e expiação dos pecados proposta pela religião sobretudo nas versões cristãs que nada têm a oferecer em termos de alegria e felicidade espontâneas e saudáveis nesta vida.

E os outros 5% ? Não tenho a certeza que sejam tantos!... mas isto é uma estimativa. São aqueles a quem devemos o facto da humanidade ainda existir e são os autores das coisas boas por ela produzidas. São geralmente perseguidos em vida, às vezes mortos, cujas ideias esvaziadas de conteudo passam a alimentar os discursos dos dominadores... num simulacro de inovação e modernismo. São os falhados sociais em vida... às vezes promovidos, postumamente, a heróis esventrados das suas ideias, valores e princípios.

Portanto, quando se fala em democracia, convém ter presente esta realidade pois só assim se pode entender porquê as pessoas continuam a votar em quem as explora e engana descaradamente, como se não tivessem memória ou não soubessem defender os seus interesses. Não sabem mesmo.

No mesmo dia em que se anunciam mais medidas de empobrecimento dos mais pobres, os jornais publicam que uma quantidade de gestores continua a auferir mais de um milhão de euros!...

Muitos continuam a torcer pela vitória do seu clube que faz de medíocres milionários ao mesmo tempo que defrauda os cofres do estado de onde deviam sair as pensões e o investimento produtivo.

Será que esta gente merece mais? Eu mereço.

4\5\2013




Visitas: