O Predestinado
O Predestinado





Tu Marcelo est

Portugal foi um império. Não tão sofisticado mas maior que o Romano.
Não defendo a existência de impérios... e esta comparação serve tão só para alinhar algumas ideias de como a história se repete, não com as mesmas pessoas, não com os mesmos acontecimentos... mas com a mesma lógica.

De 222 antes de cristo ao sec IV, a sua decadência, Roma conheceu sete Marcelos. Os primeiros seis fizeram jus à etimologia do seu nome: foram guerreiros, de seu nome inspirado em Marte, deus da guerra; o último, na fase de decadência, foi usurpador.

Quatrocentos anos depois do seu apogeu, Roma conheceu um usurpador do trono chamado Marcelo. Quatrocentos anos depois do seu apogeu, Portugal vai ter um presidente chamado Marcelo!...

"Dentro de semanas serei presidente" afirmava no pasquim "Expresso", de sua 'família', na sua última edição!...

Filho de ministro de Salazar, afilhado de Marcelo Caetano, o último cônsul do Império Lusitano, eis que surge o nosso Marcelo Imperador... imperador dum império inexistente, tal como seu ancestral homónimo, mas imperador por ordem dos deuses de quem é representante na terra!

Não fora esta omnividência divina... como poderia o nosso "pequeno guerreiro" outra das definições do nome, ter tanta certeza de que vira imperador dentro de poucas semanas?!...

É que Marcelo sabe que tem consigo a força dos deuses!... não os deuses perfeitos e justos dum céu que não existe... mas os deuses que usurparam as forças da terra há milhares de anos!...

Então, na Roma antiga, o seu homónimo, matou corpos para virar imperador efémero... agora matam-se almas, algo mais sublime, etéreo, e a única coisa divina que pode imaginar-se, para conseguir os mesmos objectivos.

Os corpos poupam-se... bem manipulados até servem para trabalhar enquanto os "robots" não fizerem tudo... (nunca farão! mas eles não sabem). Quando já não prestarem, declaram-se "peste grisalha" e votam-se ao abandono enquanto não for "moralmente" aceitável deprimi-los, não tratá-los e legalizar a eutanásia!... é uma limpeza!...

BEM VINDOS AO ADMIRáVEL MUNDO NOVO!...

Há aqui um pequeno "qui-pro-quo"... "peste grisalha" é aquela que não soube, não quis, ou não teve tempo para roubar o suficiente que a libertasse deste estigma!

As eleições ainda não decorreram mas o "pequeno guerreiro" já sabe que vai ser presidente!...
Então para quê todo esse esforço, azáfama e dispêndio para uma coisa que já está decidida previamente pelos deuses?!... (neste caso, como beato cristão, pelo seu deus, aquele que não é deus de todos mas só dos afortunados) e insuflar aos adversários a humilhação da derrota?!

Eles até são crentes do mesmo deus, que os vai abandonar cruelmente à humilhação de vencidos, e esperam ir para o mesmo céu... como vão coabitar lá com todas esses pecados "às costas" ?... ou será que nem todos os pecadores vão para lá?.. e que o inferno é só para aqueles que perdem na terra?!...

Tantas dúvidas que eu tenho!...

O ciclo fica, assim, fechado. Quarenta e poucos anos foi quanto bastou aos herdeiros do roubo ancestral para recuperarem as suas posições, abaladas então e paulatinamente solapadas e recuperadas e postas a salvo fora do país!

Com uma habilidade nova. Os ancestrais roubaram o que havia. Estes roubaram o futuro. Os encargos (?) que deixaram nas instituições que recuperaram para delapidar, por pura vingança, e que o estado assume como seus em prejuízo dos cidadãos que diz defender, vão prolongar-se, não se sabe por quantos anos e o maior destes protagonistas, amigo de Marcelo, foi posto recentemente em liberdade!

Depois admiram-se porque é que os jovens adiram ao estado islâmico!... é porque este estado não é nem nunca será deles nem para eles!... Ignoram, ou omitem, que o estado islâmico, com todos os seus defeitos que eu não quero, é internamente mais justo e oferece mais perspectivas de futuro a quem se converta, do que eles.

É esse o inimigo que têm de combater se quiserem vencer, tal como fizeram com a União Soviética. Serem, ou parecerem, melhores que eles. Mas a cupidez, a ganância, o orgulho e o triunfalismo instalados com a queda da US abriu um caminho sem retorno aos psicopatas degenerados que comandam o mundo a quem estes fantoches chamados presidentes e quejandos obedecem sem pestanejar!

Lisboa, 16/12/2015








RETORNO                                  visitas